Poetry

CEILINGS OF GOLD IN A LAND OF EVIL | TETOS DE OURO EM TERRAS DE MAL

I wonder how many walked through this same aisle and got silent by your golden ceiling.
Hundreds of millions.
Hundreds of kinds.
Hundreds of the same.

Century after century,
they enter your room
and learn nothing!

Your own architecture hides your history.
You became a false background for a pitiful frame,
for shallow people.
A build of shame.

You damaged love,
giving him wrong clothes,
putting his name in the mud.
You made life a theater, palace of horror.

You even tried to deceive time, that sooner or later will swallow you.

Those who walk through you see the color of gold,
but are blind to the rest.

They are convinced to be here to please themselves.
And not even you, misery, will show them who you are.
You will never take away their toys,
neither remember their dust.
They are made of another sort of misery,
one that not even you met.

They find themselves too good to their own eyes, you know?
Sometimes they even give away what they no longer want,
and like that they play to be human,
but never what was supposed to be the human kind.

***

Eu me pergunto quantos passaram por este mesmo corredor e ficaram em silêncio diante do seu teto dourado.
Centenas de milhares.
Centenas de tipos.
Centenas do mesmo.

Século após século,
eles entram em seu recinto
e não aprendem nada!

Sua própria arquitetura esconde a sua história.
Você se tornou um fundo falso para um quadro lamentável,
para pessoas fúteis.
Uma compilação de vergonha.

Você danificou o amor
dando-lhe roupas erradas,
colocando o seu nome na lama.
Você fez da vida um teatro, palácio de horror.

Você até tentou enganar o tempo, que mais cedo ou mais tarde vai te engolir.

Aqueles que passam por você vêem a cor do ouro,
mas são cegos para o resto.

Eles estão convencidos de estar aqui para agradar a si mesmos.
E nem você, miséria, mostrará para eles quem você é.
Nunca vai tirar deles os seus brinquedos,
nem lembrá-los de sua poeira.
Eles são feitos de outro tipo de miséria,
uma desconhecida até para você.

Eles se acham bons demais aos seus próprios olhos, sabe?
Às vezes, eles até dão o que lhes sobram,
e assim eles brincam de ser humano,
mas nunca aquele que deveria ser do tipo humano.

#longingformore #blogging #writing #life #faith #God #relationships #thoughts #poetry #blog #love #misery #Deus #miseria #amor #poesia #fe #pensamentos

Gratuated in History by PUC-SP (2009), postgratuate in Corporate Affairs (2010) and MBA in Marketing by FGV-SP (2016) and a master degree in History by PUC-SP (expected to 2021). More than 12 years of experience in Corporate Affairs playing different roles in big and global companies. Writer of the blog Longing for more since 2017. *** Possui graduação em História pela PUC –SP (2009), pós-graduação em Comunicação Corporativa (2010) e MBA em Marketing pela FGV-SP (2016) e é mestrando em História pela PUC –SP (2021). Atuou por 12 anos em comunicação corporativa e marketing em grandes empresas e multinacionais de diferentes segmentos. Escritora do blog Longing for More desde 2017.